Doação de perucas faz a cabeça de mulheres que passam por quimioterapia

03/08/2011

Por Jaqueline da Mata

Gerente foi surpreendida pela doação.
Foto Luiz Costa

 

Sem dinheiro para comprar uma peruca, a gerente de marketing Elizabethe de Azevedo, 34 anos, optou por usar lenços. Pela segunda vez em sua vida ela trava uma batalha contra um câncer, desta vez na mama direita. Há três anos, foi submetida a uma mastectomia para a retirada da mama esquerda. O que ela não contava é que sairia da sessão de quimioterapia, nesta quarta-feira (3), com cabelos novos e pretos, como eram os seus antes da doença aparecer. Ela e outras pacientes na mesma situação receberam a doação de perucas sofisticadas, made in França com cabelos verdadeiros e sintéticos.
 
O local triste e angustiante onde tomam a medicação, no Hospital Mário Pena, transformou-se em um verdadeiro salão de beleza, onde não faltaram lágrimas e sorrisos. “Sempre fui muito vaidosa, mas com a doença tenho outras prioridades e não posso me dar ao luxo de comprar uma peruca que, para mim, é um passo para me sentir próxima da cura”, disse Elizabethe.

Sem dinheiro para comprar uma peruca, a gerente de marketing Elizabethe de Azevedo, 34 anos, optou por usar lenços. Pela segunda vez em sua vida ela trava uma batalha contra um câncer, desta vez na mama direita. Há três anos, foi submetida a uma mastectomia para a retirada da mama esquerda. O que ela não contava é que sairia da sessão de quimioterapia, nesta quarta-feira (3), com cabelos novos e pretos, como eram os seus antes da doença aparecer. Ela e outras pacientes na mesma situação receberam a doação de perucas sofisticadas, made in França com cabelos verdadeiros e sintéticos. O local triste e angustiante onde tomam a medicação, no Hospital Mário Pena, transformou-se em um verdadeiro salão de beleza, onde não faltaram lágrimas e sorrisos. “Sempre fui muito vaidosa, mas com a doença tenho outras prioridades e não posso me dar ao luxo de comprar uma peruca que, para mim, é um passo para me sentir próxima da cura”, disse Elizabethe.

 

Foto: Luiz Costa

 

Foram doadas 11 perucas femininas, sendo sete novas, e alguns turbantes. É a primeira vez que o hospital recebe uma doação deste porte, de acordo com o diretor-geral da instituição, Éder Lúcio de Souza. “Às vezes recebemos uma ou outra peruca usada para doar”, disse Souza.
 
As empresárias Yana e Fernanda Tompa, do Núcleo de Terapia Capilar (antigo Perucas Vilma), revelaram que o preço das perucas doadas varia de R$ 900 a R$ 4 mil. “Não vendemos peruca usada e resolvemos guardar para doar. As novas, que estão sendo doadas, é por troca de tendências”, disse Fernanda. Com carinho, ela e a mãe ajeitaram as perucas nas pacientes, cortaram o que foi preciso e deram instrução para uma melhor conservação dos produtos.
 
A dona de casa Nelcione Ozana Diniz, 50 anos, contou que há um mês, seu cabelo caiu completamente após iniciar a quimioterapia para tratar um câncer na mama direita. “Olhava no espelho e chorava o tempo todo. A queda do cabelo para uma mulher dói mais que o tratamento”, desabafou. Emocionada ao receber a peruca francesa, que na loja não custaria menos que R$ 2 mil, a dona de casa chorou de felicidade.
 
Já a doméstica Eleneci Mendes Pereira, 33 anos, que ganhou de parentes uma peruca loura, saiu do hospital com o cabelo castanho semelhante ao seu original. “Há muito tempo não me sentia tão feliz”.
 
O impacto da queda do cabelo para uma mulher é tão forte como a notícia do diagnóstico de câncer, como observa a psicóloga da instituição, Andrea Pereira Gazzinerri. Ela destaca que a peruca é uma ferramenta a mais no tratamento, uma vez que as pacientes começam a se aceitar melhor. “Sem cabelo, olhares preconceituosos ou assustados acabam mexendo com a autoestima das pacientes. Muitas se trancam dentro de casa. Poder se olhar no espelho com cabelo as deixa mais felizes e consequentemente auxilia no tratamento que conta muito com o emocional”, concluí a psicóloga.

Foram doadas 11 perucas femininas, sendo sete novas, e alguns turbantes. É a primeira vez que o hospital recebe uma doação deste porte, de acordo com o diretor-geral da instituição, Éder Lúcio de Souza. “Às vezes recebemos uma ou outra peruca usada para doar”, disse Souza. As empresárias Yana e Fernanda Tompa, do Núcleo de Terapia Capilar (antigo Perucas Vilma), revelaram que o preço das perucas doadas varia de R$ 900 a R$ 4 mil. “Não vendemos peruca usada e resolvemos guardar para doar. As novas, que estão sendo doadas, é por troca de tendências”, disse Fernanda. Com carinho, ela e a mãe ajeitaram as perucas nas pacientes, cortaram o que foi preciso e deram instrução para uma melhor conservação dos produtos. A dona de casa Nelcione Ozana Diniz, 50 anos, contou que há um mês, seu cabelo caiu completamente após iniciar a quimioterapia para tratar um câncer na mama direita. “Olhava no espelho e chorava o tempo todo. A queda do cabelo para uma mulher dói mais que o tratamento”, desabafou. Emocionada ao receber a peruca francesa, que na loja não custaria menos que R$ 2 mil, a dona de casa chorou de felicidade. Já a doméstica Eleneci Mendes Pereira, 33 anos, que ganhou de parentes uma peruca loura, saiu do hospital com o cabelo castanho semelhante ao seu original. “Há muito tempo não me sentia tão feliz”.
 O impacto da queda do cabelo para uma mulher é tão forte como a notícia do diagnóstico de câncer, como observa a psicóloga da instituição, Andrea Pereira Gazzinerri. Ela destaca que a peruca é uma ferramenta a mais no tratamento, uma vez que as pacientes começam a se aceitar melhor. “Sem cabelo, olhares preconceituosos ou assustados acabam mexendo com a autoestima das pacientes. Muitas se trancam dentro de casa. Poder se olhar no espelho com cabelo as deixa mais felizes e consequentemente auxilia no tratamento que conta muito com o emocional”, concluí a psicóloga.

 

Fonte: Jornal Hoje em Dia

Comente! Voltar

Comentários

Por ALINE MONTEIRO em 21/09/11 21:24

Gostaria de saber como posso doar. Tenho uma peruca curta preta nova em casa e gostaria de doar para o hospital. Obrigada, e parabéns pelo belo trabalho que desenvolvem!


Por priscilla presley em 28/10/12 13:42

linda mais que linda


Por priscilla presley em 29/10/12 10:48

minha mãe realmente era linda =) obg por trazer sorrisos no rosto dela =)


Instituto Mário Penna

Rua Guaicuí, 20 • 15° e 16° andares
Bairro Cidade Jardim CEP: 30380-380
Belo Horizonte - MG
tel: +55 31 3330 9100


Hospital Luxemburgo
Rua Gentios, 1350 • Luxemburgo CEP 30380-490 • BH/MG
tel: +55 31 3299 9000 • fax +55 31 3299 9931

Hospital Mário Penna
Av. Churchill, 230 • Santa Efigênia CEP 30260-080 • BH/MG
tel: +55 31 3489 6600 • fax +55 31 3463 0030

Casa de Apoio Beatriz Ferraz
Rua Paraisópolis, 887 • Santa Teresa CEP 31010-330 • BH/MG
tel: +55 31 3465 9350  • fax +55 31 3467 4687

Doações ONLINE

Webmail


X