Instituto Mário Penna realiza três sacramentos católicos em paciente internada

27/11/2018 Por: Instituto Mário Penna Categoria:



Batismo, crisma e eucaristia aconteceram em capela do Hospital Luxemburgo

“Hoje o céu se abre”. Assim foi o início da missa, realizada dia 23 de novembro, que reuniu em um único momento os sacramentos da igreja católica de batismo, eucaristia e crisma da paciente Larissa Costa (17), em tratamento no Instituto Mário Penna devido ao um câncer nos ossos desde 2014. Internada no Hospital Luxemburgo, a paciente, demonstrou interesse em seguir com a fé cristã e após uma semana ela estava se preparando para concretizar mais um sonho proporcionado pela Diretoria de Humanização do Instituto.

Com um vestido branco de festa, perfumada e sendo maquiada pela também paciente e maquiadora – Daiane Rodrigues, Larissa escolhia o batom que gostaria de usar na ocasião, “um rosa”, disse ela. Agora só faltava a sua irmã colocar a peruca em sua cabeça, já que ela tinha adquirido o manejo certo de ajeitar o item indispensável ao seu look. Com um sorriso no rosto e olhar sereno, Larissa, foi levada na cadeira de rodas, e sendo monitorada pela equipe interdisciplinar para que tudo ocorresse bem durante a grande celebração.

Já na missa, realizada na capela do Hospital Luxemburgo, a poucos metros do quarto onde está internada, a jovem foi recepcionada por familiares, amigos, pelo namorado, por colaboradores, pela Pastoral da Saúde e pela diretoria do Instituto, representada pelo presidente do Instituto Mário Penna, Paulo José de Araújo; pelo presidente da Assembleia Geral da Associação Mário Penna, Osmânio Pereira; e pela Diretora de Humanização, Maria Ângela Ferraz, os dois últimos padrinhos da paciente. A amiga feita através do Instituto, Christiane Valente também foi escolhida como madrinha de consagração e a colaboradora da Humanização, Vera Lúcia Almeida, a Verinha, como madrinha de crisma.

Para Osmânio Pereira, Larissa é um exemplo de superação e de luta pela vida. Para ele, ter sido chamado para ser padrinho foi uma honraria muito grande. “Nós estamos no comando da direção, da assembleia, mas ao mesmo tempo nós estamos atentos à dor e ao sofrimento do nosso paciente. Então quando uma paciente como essa que é especial nos chama para ser padrinho de um acontecimento de natureza espiritual tão profundo a gente sente orgulho disso”, finaliza. O momento também é de reflexão sobre a obra Mário Penna como afirma o presidente Paulo José de Araújo “Esse é um momento histórico para todos nós e muito emocionante que nos convida a uma reflexão profunda sobre o grande trabalho realizado pela Obra Mário Penna. Que Deus continue nos abençoando, acompanhando e iluminando”, disse.

Confraternização

Após a celebração, os convidados foram recebidos no Espaço de Convivência em uma confraternização – proporcionada por meio de doações – com salgadinhos, refrigerantes, doces, bolos e até lembrancinhas. A alegria da Larissa com a celebração foi indescritível, conforme ela explica. “Foi uma experiência incrível, não tem nem como descrever. Muito bom mesmo. Quando as minhas madrinhas disseram que era possível organizar tudo em uma semana eu só disse, bora!” conta.

Segundo a Diretora de Humanização, Maria Ângela Ferraz, que além de organizar esse evento, proporcionou para ela há dois anos o sonho de ter uma festa de 15 anos, a ação vai muito além da humanização. “Esse evento supera todas as questões de humanização. Essa alegria dela e o desejo de passar por um sacramento religioso do qual ela acredita e a gente poder estar junto e de partilhar esse momento, não tem palavras. É muito mais do que humanização. É um ato divino”, explica.

Compartilhe essa notícia: