Ajude o Instituto Mário Penna

"Ontem, recebi minha alta depois de 7 anos de tratamento e acompanhamento dessa ótima instituição e toda a sua equipe."

Dia da Imunização – Por que as vacinas são importantes para o inverno?

09/06/2018 Por: Instituto Mário Penna Categoria: Notícias Gerais



Com a aproximação do inverno, aumenta o número de casos de doenças respiratórias na população, entre essas doenças, os resfriados e a gripe merecem atenção especial devido ao seu potencial de disseminação e/ou pela gravidade do quadro clínico.

A gripe é uma doença respiratória infecciosa viral, causada pelo vírus Influenza. É caracterizada por febre alta, dor muscular, dor de garganta, coriza (nariz escorrendo), dor de cabeça e tosse (que geralmente é seca). A febre dura aproximadamente 3 dias e a tosse pode persistir um pouco mais, geralmente 1 semana.

O resfriado é comumente confundido com a gripe, mas é causado por vírus diferentes, o mais comum é o Vírus Sincicial Respiratório (VSR). Os sintomas se parecem com os da gripe, mas, na maioria das vezes, são mais brandos e o quadro dura menos tempo, em torno de 3 a 4 dias.

Segundo Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais publicado em 14 de Maio de 2018, no período entre Janeiro a Maio, foi isolado o vírus Influenza em 53 pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave, distribuídos em 26 municípios. Houve 2 óbitos relacionados à infecção por Influenza.

Ambas as doenças têm alto potencial de disseminação e algumas atitudes podem minimizar a contaminação. Essas atitudes são hábitos de higiene simples, mas muito eficazes, como higienizar  as mãos com maior frequência, lavando-as com água e sabão ou usando álcool a 70%, usar lenços descartáveis para limpar o nariz, não compartilhar objetos de uso pessoal, cobrir o nariz e a boca com a parte interna do braço quando tossir ou espirrar (isso evita que as mãos se contaminem com os vírus). Também é importante manter o ambiente bem ventilado e evitar contato desnecessário com pessoas com quadro gripal.

A vacina disponível, tanto na rede pública quanto na rede privada, protege contra a infecção com o vírus influenza. Ela é composta por partículas inativadas de três subtipos do vírus influenza, que são os de maior circulação no período. Como os subtipos virais do influenza podem mudar de um ano para o outro, a vacina também tem que ser tomada anualmente. A vacina contra a gripe é segura e não causa gripe. Ela está disponível na rede pública para a população-alvo do Ministério da Saúde (que é de maior probabilidade de desenvolvimento dos casos graves e potencialmente fatais). Devido ao risco ocupacional, os profissionais de saúde devem ser vacinados anualmente. Não há vacina contra resfriado e a única maneira de se proteger é seguindo as medidas de higiene descritas acima.

Flávio de Souza Lima
Médico Infectologista e Coordenador do Serviço de Controle de Infecção
Hospitalar do Instituto Mário Penna

Compartilhe essa notícia: