Saiba tudo sobre o coronavírus

13/03/2020 Por: Instituto Mário Penna Categoria: Notícias Gerais



Os coronavírus são uma família de vírus que causam infecções respiratórias em humanos e animais. Conhecido pelos cientistas desde a década de 1960, o também chamado de SARS-CoV-2, foi isolado inicialmente em dezembro de 2019 na província de Wuhan, na China.

Qual a definição de caso suspeito de infecção por Coronavírus?

  • Definição 1: pessoas que apresentem febre, sintomas respiratórios característicos e histórico de viagem em áreas de transmissão nos últimos 14 dias.
  • Definição 2: febre, sintomas respiratórios característicos e histórico de contato próximo com possíveis infectados nos últimos 14 dias.
  • Definição 3: febre, sintomas respiratórios característicos e histórico de contato com casos confirmados de Coronavírus nos últimos 14 dias.

As infecções por Coronavírus são muito graves?

Geralmente, infecções por Coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Mas alguns subtipos podem causar doenças graves como em 2002, em Hong Kong, com a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) em 2012.

E o novo Coronavírus, é muito perigoso?

Os dados disponíveis até o momento mostram que o SARS-CoV-2 não apresenta letalidade tão alta quanto o subtipo que ocorreu em Hong Kong em 2002 ou no Oriente Médio em 2012. Até o momento, porém, apresenta letalidade maior que outros vírus respiratórios de circulação habitual, o que demanda maior atenção da população e dos profissionais de saúde. Atualmente, a taxa de letalidade está próxima de 3%.

Existe alguma população com maior chance de apresentar sintomas graves?

A COVID-19 (nome atual da infecção pelo novo coronavírus), assim como as outras doenças respiratórias viróticas, pode desenvolver-se de forma mais grave em populações mais vulneráveis. Essa população é composta principalmente por idosos e portadores de doenças crônicas e imunossuprimidos, como pacientes portadores de doenças cardíacas, pulmonares, renais, paciente oncológicos e usuários de medicamentos que diminuem a imunidade (imunossupressores).

Como ocorre a transmissão?

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa através do contato com secreções respiratórias. A transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão com pessoa infectada;
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Em média, uma pessoa infectada passa o vírus para aproximadamente 3 pessoas.

O que eu preciso fazer para evitar a minha contaminação?

A principal medida de proteção é a higienização das mãos, tanto pela lavagem com água e sabão quanto pelo uso de álcool em gel. Outras medidas que também são importantes, como não compartilhar objetos pessoais, manter ambientes bem ventilados, evitar aglomeração de pessoas.

E se eu apresentar sintomas de doença respiratória? O que eu faço?

A infecção por coronavírus apresenta sintomas muito parecidos com os de outras viroses respiratórias. Ainda não há tratamento específico, mas a primeira ação é entrar em contato com o seu médico. O paciente também pode comparecer ao posto de saúde ou marcar consulta, caso os sintomas sejam leves. Somente procure o Pronto Atendimento ou UPA por orientação médica ou se apresentar sintomas mais intensos.

  • Cubra boca e nariz ao tossir ou espirrar preferencialmente com a parte interna do braço;
  • Utilize lenço descartável para higiene nasal;
  • Evite contato com olhos, nariz e boca;
  • Higienize as mãos frequentemente com água e sabão ou álcool em gel;
  • Evite grandes aglomerações de pessoas e use máscara em ambientes compartilhados.

Ajude o Instituto Mário Penna

"Ontem, recebi minha alta depois de 7 anos de tratamento e acompanhamento dessa ótima instituição e toda a sua equipe."

Compartilhe essa notícia:
Outras notícias de Notícias Gerais